quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Uma vida, desperta.



Uma vida, desperta.

Caminhando, só pelo deserto
O calor é escaldante
Pensamentos...

Tornam-se em delírios
A areia vem com o vento
Querendo arranhar os olhos...
Que se fecham por alguns, momentos.

Pensamentos, ficam em devaneios
E as miragens desejam, bons tempos
E entre o real e irreal
O corpo se enfraquece
Mas na fraqueza, também
Expandem-se as forças.

E mesmo sendo longa a distância
Na caminhada, difícil
Há, maravilhas...

São tão belas...
Quê mesmo no grande deserto
Uma vida, desperta
Espiritualizada e com fé
Se completa.

Direitos do poema reservados a: Poeta Lucia Barros
Maria Lucia de Barros Gomes.

Imagem do Google.