sexta-feira, 8 de junho de 2018

Em uma xícara de café quente.


Em uma xícara de café quente.

Agora eu não quero, lua
Eu só quero o tempo...
O verdadeiro, tempo
O ar, as nuvens, girando...
Noite fria, céu cinzento, inteiro e alto céu
Adentrando, cada um dos sentimentos.
Sentir na alma pura
O chuviscar que vem de fora
E olhar dá vidraça dá janela
Sem perder se quer, nenhum
Dos doces, os mais lindos, momentos.
Transmitir, naturalmente, um brilhar
Do fundo dás meninas dos olhos...
Deixando soar o falar dos lábios
E ver as letras já soletradas
Indo em direção...
Ao lindo e meigo, diário ao lado.
Adoçando o paladar...
Em uma xícara de café quente.
Lucia Barros.
poetaluciabarros@gmail.com
(todos os diretos reservados.).
Exceto a imagem do Google.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Serenando.






Serenando.

A noite chega, precisamos serenar a alma, purifica-la por nós mesmos.
Pois a vida só é boa, com amor próprio e pelo próximo...
O que seria de cada um de nós se fossemos seres sozinhos?
Somente, obtemos tudo por esforços, mas com certeza, todos transferimos sempre, um bocado de parceria, vivendo, dividindo, sendo caridosos, companheiros para se viver nesta terra e tanto nos ganhos como nos gastos.
A vida é bela, embeleza-la nos satisfaz e compartilhando nos faz ser as melhores pessoas...

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Conjunto de divino amor.

Conjunto de divino amor.

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
02/02/2018

Há mais muito mais que se manter e muito mais do que querer, saber contribuir no bem é válido para qualquer momento da vida, constituir e distribuir é a palavra, mas não as bastam
porque palavras em vão, não tem significado quando não disponibilizadas, devido que a gentileza gera gentileza, mas não as vezes o amor verdadeiro. As consequências são fatos reais e são assim por toda parte do mundo sofrido e necessitado de caridades, ficam à espera do alguém que se preze a tal ato de contribuição, manutenção para se viver melhor em ambientes melhores para se projetar nas suas necessidades, sejam elas qual forem.
Quantas comunidades precisam de ajuda todos os dias, e precisam esperar tocar um coração doador e  que se doe com sabedoria e sem desistência, para não fracassar o outro lado que necessita ainda mais e o toque de uma alma elevada, significa muito nestas horas, porque sofrimento maior é  olhar se desfazer o projeto digno de quem se dispõem a estes trabalhos maravilhosos de fazer crescer uma vida, a cada dia para não perecer nas suas metas, nas suas escolhas ainda que seja difícil a caminhada , mas sem desistência permanece na fé com esperança da vitória.
Ajudar também é adquirir, adquirir alegria, utilidade e também a força para se viver em harmonia para que sempre juntos, as almas vivas, sejam luz, conjunto de divino amor.  
Lucia Barros.
Todos os Direitos Reservados a: Poeta Lucia Barros.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Aromatizando o meu espírito.



Aromatizando o meu espirito.
19/01/2018.

Serenamente, quero adormecer
E no meu, mais belo jardim
Jardim de flores, ao serenar e ao luar.
Quero ouvir a voz da minha áurea
Abraçar-me a minha privacidade
E saborear com toda a leveza
A imensa natureza...
Como o gosto do toque nas águas
Sentir as pedras e ouvir o cantar
Dos diversos pássaros...
Sentindo, a mata em seu silêncio
Somente o sublime do ar
Fazendo-me a presença
Preenchido de toda forma
Inteira de puro amor...
Aromatizando o meu espirito

Lucia Barros.







quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Os nossos passos.


Os nossos passos.

18/01/2018.

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.


É preciso viver a luminosidade
Pois o breu na vida...
Escurece, uma alma solitária.
Bom é, gostar de gente e luz
Porque ela que nos conduz
Seja noite, seja dia...
Até os astros, maiores, clareiam
Os nossos passos.

Lucia Barros.

Direitos reservados.
Exceto a imagem do Google.







domingo, 7 de janeiro de 2018

Vida de amar.



Vida de amar.

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.

Assim, foi o amanhecer, brilhante...
Lá distante, avistei e observei o céu azul
Enfeitado de nuvens brancas, cintiladas
com o brilhar do sol radiante...
Iluminando o dia.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Ora, ora, quem somos nós?



Ora, ora, quem somos nós?

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
Janeiro 2018.

Quem somos nós diante os nossos objetivos, entre perdas e ganhos, Nhá?
Somos os frágeis diante as perdas, diante as enfermidades, diante as lutas que atravessam os nossos caminhos, aqueles impedimentos que chegam sem avisar fazendo a terrível surpresa inesperada.
Podíamos estar preparados, mas não estamos, sabe por quê?
As distrações nos tomam de um tanto nos cegando de ver o que está por vir, porque a alegria é tão grande e porque os sonhos são tão lindos e os realizamos, que bom não é, graças a Deus por isto, gratidão é maravilhosa para quem sabe distribui-la com amor, o ser grato, é isto lindo.
Mas assim como a gratidão ser lindo é também compartilhar a vida, o carinho, o afeto, a garantia da paz interior para o exterior de cada ser, não nos custa ser amáveis e estender as mãos quando alguém precisa de nós, abraçar a alma amiga e enxugar as lágrimas sentidas do próximo.
Sabe a vida ensina, a vida projeta, a vida brilha, mas a horas que a vida engana, e precisamos estar preparados e vigilantes, quanto a tantas outras coisas que não seja somente obter o prazer de bens ou diversões simplesmente mesmo que nos faça tão bem, não que devemos desistir de ser felizes, mas colocar a felicidade em dividir com o próximo amor.
O mundo está sempre precisado de amor de paz de carinho e de novos projetos e conquistas, novas atitudes, novas palavras e acima de tudo respeito.
Ora o que somos nós?
Quando estamos todos à procura de uma cura para conosco mesmo ou com nossos queridos familiares, somos os fragilizados indefesos, sem reações quando algo parece não se resolver, porque as vezes o dinheiro não paga a saúde e nem a vida, e aí descemos por um bom tempo em nossos pensamentos aflitos que parecem não ter mais fim.
Aprender abraçar almas é maravilhoso quando o coração se enche de harmonia, maravilha e fé de poder alcançar o nosso bem e o bem do próximo que acolhemos, conquistamos tudo pela graça de poder olhar e perceber quanto bem fazemos a nós primeiramente, saber doar-se, sem pensar em nada receber porque livremente as bênçãos sempre nos são multiplicadas quando agimos de boa-fé.
Nem todo mundo é bom, nem todo mundo é mal, mas saber ir onde podemos nos confraternizar é divino e honroso para nós mesmos.
pois o dia de amanhã quem o saberá?
Só o tempo nos dirá, conservar amizades, conservar entes amados é sempre saber saborear o dia que virá... ao lado de quem pode nos fazer felizes e até garantir vida quando o amor é recíproco, porque nós podemos nos abraçar e nos levantar um ao outro quando a fraqueza nos tomar o corpo e a fragilizada alma.
O rico, o pobre o milionário, são todos iguais em seu envoltório que lhes cobrem o espirito que lhes foi concedido, bem dizendo: nós os humanos, nós que quando falta água somos precisados de banho porque suamos o corpo, que fica fétido a ponto de não nos suportarmos a nós mesmos, nossos hálitos, nossas sujeiras que é como a lama do nosso próprio corpo e que nos tornam os intocáveis, ao próximo que deseja neste momento a distância. Parabéns anjos cuidadores dos enfermos e dos miseráveis que desejam cuidados. AH! Nhá, a mais bela alma cuidadora e protetora, são estes anjos.
A se isto acontecesse por dias ou meses o que seria de nós?
Porque tudo se pode acontecer, não sabendo, aonde vamos parar, o que vamos fazer e muito bom é ser a pessoa cheia das garantias nas suas propriedades nas suas atitudes, mas já que de garantias se abastece um ser, abastecer a alguém que precisa ainda mais do que o garantido é ainda melhor.
Soa, aos cantos da terra os gemidos dos fragilizados e desprotegidos nas suas faltas de tudo, nas suas faltas até de força para viver, soa os gemidos das crianças que precisam de guarida nas ruas, sem teto sem pai e sem mãe, soa os gritos das almas viciadas que por algum motivo que os fizeram chegarem ao caminho mais difícil e desprezível, diante os olhos da sociedade, tornando-os rebeldes e temerosos para quem os veem, e ao invés de ajudar, pioram a situação com seus maus tratos, descriminações e jugos desnecessários.
A perfeição ainda não chegou para ninguém e quem sabe na hora e tempo ditado, o chegará, embora uns se regenerarão outros não, só depende de quem recebe e colhe e faz vibrar a sua escolha em seu livre arbítrio.
Cantemos aos idosos, cantemos e aconselhamos a quem queremos o bem, somente de olhar, por sermos vida e por sermos nós, como um dia todos o serão pela generosidade das gerações vindouras.
É, aplausos, para as pessoas que se tomam de um dom de graça para ser cuidadores com amor, desejando de todo o coração, a reabilitação de quem precisa mudar para ganhar a vida na sociedade novamente, seja o que for que a pessoa tenha passado, ou distribuído ao decorrer de sua vivência. O futuro dos humanos pertence a todos nós, pois somos todos o sangue que nos cobre as veias da mesma forma, quando um dia as veias, esfriarão e o corpo se findará, mas os espíritos se encontrarão nos seus próprios caminhos e de sorte que sejamos, aí, os regenerados e abraçados pela grandeza maior que ditará, o juízo final do qual ninguém escapará.
Vamos nos ajudar, a vencer para olharmos um para o outro e dizer:
Somos todos vencedores!
Ora, ora, quem somos nós?
Lucia Barros.
poetaluciabarros@gmail.com




quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Quem ama.


Quem ama.

Nem tudo é bem, nem tudo é mal
O bem existe e o mal, também
Somente, faz mal quem quer 
E só faz bem quem ama.

Lucia Barros.

poetaluciabarros@gmail.com


❤️

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Vivificam na nossa memória.





Vivificam na nossa memória.
PH: Maria Lucia de Barros Gomes.

A vivência vai caminhando
E mesmo que não juramos
Ainda que não prometemos
Fatos e pessoas permanecem...
Moram em nossos corações.
O que fica, com amor não se apaga
Não se despede, permanece
Fazendo moradia...
Não sai, não podemos, jamais
Mandar embora...
Ainda que sem a presença
E sem ouvir, as suas palavras
Vivificam na nossa memória.
Lucia Barros.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Como anjos.




Como anjos.

Há pessoas que são, como anjos abraçadores de almas
Com um gesto e uma palavra, proporciona luz
Vida para outras vidas e muitas vezes não percebem
O tão grande bem que proporcionou.

Lucia Barros.




quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Toca-te a alma.





 Toca-te a alma.

Toca-te a alma.

15/11/2017

As águas, ela tem poder de transmitir
a purificação da alma
Banhando “o Ser”, romântico e vivo
De amor e de paz, fluindo-te...
No sabor e na sua essência, suave
Para renascer o momento, feliz
Da sua áurea livre...
Em vida e em palavras.
Acendendo a luz que brilha
Porque você é a própria estrela,
Viva e resplandecente de você
Faz assim:
Sente o mar, o ar
Admire o céu
E sente a brisa,
Será, como as mãos leves
Que lentamente, toca-te a alma.
Lucia Barros.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Cada uma vida, nós.





Cada uma vida, nós.
PH: Maria Lucia de Barros Gomes.
02// 11//novembro de 2017.

Há, momentos e sentimentos diferenciados, por uma mesma pessoa em seu íntimo, a memória puxa para o lado que pensa, mais...
O mais forte, sentimento incontrolável de nós seres, que precisamos a aprender a reeducá-lo entre o sim e o não. (A própria pessoa). Tem que dizer para seus pensares, sim ou não.
As dúvidas, as ansiedades entre os projetos da vida futura, são constantes, mas é melhor pensar ainda no presente, mas tantas coisas flutuam sobre o celebro humano que é carente das suas vontades maiores e que ainda não se consumaram, ou se consumaram de maneira diferentes, aos projetos desejados.
Mas o pensar precisa ser modificado porque o futuro pertence a Deus e ele proporcionará tudo ao seu tempo, tudo da maneira que ele vai achar melhor para cada um, é preciso ter a força das palavras focadas dentro de si, é preciso ter fé, ter esperança renovada, aceitar ou correr atrás do sonho que busca abrir o coração, aliviar a alma se preencher de espirito confiante e cheio de certeza que vai dar tudo certo.  É preciso o momento de encaixar este projeto decisivo na alma da pessoa depressiva.
Porque por estes motivos particulares, vem a aflição que toma o sentimento entre o querer e não puder...entre o que vou fazer, ou não fazer o que vou conseguir do que estou buscando...
Tenho o algo, ou não tenho o que quero no momento, sou, mas não quero ser, vivo convivo, mas não queria conviver...tal como não queria que assim fosse.
Estes são os motivos da incontrolável depressão.
O algo que toma todo ser depressivo, para fazê-lo pensar em tantas coisas...Ou a única situação vivida em seu íntimo ser pensante e que toca de corpo e alma as duas vozes que se intrigam dentro de si, lutando em diferença, causando as divergências.
Uma brutalidade, um duelo sentimental que parece não ter fim, a carência, a desmotivação.
Mas pode sempre no final haver a solução: quando o ser em depressão consegue, a confiança de alguém do lado... que se transforme em o anjo que ela agarre e não solte, para se abrir em palavras, falar de seus sentimentos e desaguar as suas lágrimas
Contar até mesmo, o seu maior segredo que no momento em tantos pensares se torna o seu maior segredo diário, até mesmo noturno.
Porque a depressão a insônia absurda enfraquece o corpo adoecendo, uma força que é maior e parece não querer ir embora.
É preciso paciência e diálogo, carinho afeto e muito amor, muitos até tentam a aproximação, mas a depressão não deixa.  
É preciso tentar levar a pessoa depressiva, a fazer as obras da vida que ela gosta e se sinta bem para que ela não se sufoque em seu único mundo escuro do momento.
Fazer o gosto, sentir a confiança que vai haver solução e a solução é buscar dentro da pessoa depressiva o que está fulminando os seus pensamentos, entender os seus queres e absorver a dor.
Geralmente quando assim, não dividem os seus pensamentos nem seus motivos mais incontroláveis aonde se torna mais forte a depressão, é o poder de conquistar ou perder
Para tal fato momentâneo só há um poder, vencer...
Vencer na amizade, vencer no amor, vencer nos objetivos, aceitar... o que vivo, aceitar o que sou, usufruir do que eu desejo maior em minhas promessas e acreditar no conseguir e sem impedimentos e muitas vezes dizer adeus ao passado, se tomar de calmaria, a paciência tem que se projetar em si constantemente até a vitória completa do intimo Ser.
É preciso alimentar a alma depressiva com o alimento do amar-se, do você vai conseguir, vai poder, vai ganhar... vai sair dessa, a mais dura batalha de sentimentos dos profundos que altera a vida porque é motivacional e que parece não ter fim.
O maior objetivo é a aproximação, para fazer vencer:  o mais dócil “Ser “e reavivar de corpo e alma em espirito em verdade, cada uma vida, nós.
Lucia Barros.


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Única viagem.



Blog Lucia Barros
16/10/2017.

Única viagem.

Jamais, gostei de subestimar as pessoas porque todos nós
Possuímos, as nossas qualidades e inteligências...
Quando expostas podem surpreender a muitos.
A simplicidade que vem da alma não se compara a status
Mas podem caminhar juntos...
Basta aceita-los e deixar, fazer parte da caminhada
Porque estamos a peregrinar e para nos encontrar...
Em uma mesma e única viagem.

Lucia Barros.(Pseudônimo)
Autora:Maria Lucia de Barros Gomes.
poetaluciabarros@gmail.com

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Alma de amar, sempre.



Alma de amar sempre.

PH: Maria Lucia de Barros Gomes.



É a vitória com felicidade
Pois, por que não?
Amor é a força da vida
E o fruto do bem.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Mais, eu e você.


Mais, eu e você.

Uma vida de nós dois, como somente nós
Amor absoluto, carinho, ternuras
Nossas vontades e desejos
Os abraços que nos abraçam
E o beijo que nos esquenta.

Os lábios, encontram-se
Fogo que consome a carne
Dois amantes, namorados
De uma só vontade, suave toque,
Amor e paixão, aromatizado
Em um prazer, prazer, sutil, gosto
De queremos mais, mais
Mais, eu e você.
Lucia Barros.(Pseudônimo)
poetaluciabarros@gmail.com
Autora:Maria Lucia de Barros Gomes.

***



Como um diamante.


Como um diamante

És tu, esplendoroso
E vem hipnotizando, o meu ser
Que absorve, em ti
As palavras que se transformam
Em melodias no ar
E brilham, clareando, dia a dia
Os meus bons momentos
De ares constantes
E este me é maravilhoso
Que interpreto, aplaudindo
Deixando-te reluzir ao meu redor
Como um diamante.
Lucia Barros.
(Maria Lucia de Barros Gomes.).