segunda-feira, 6 de março de 2017

É meigo e sereno.







É meigo e sereno.

Como estava belo o seu rosto,
Minha vontade, simplesmente,
 Beijar-te...
Abraçar você, fortemente
Meu amor, carente
Mas, ficamos tão distantes...
Foram, tantos inconvenientes
Tantas tarefas diferentes.

Nem tempo...
     Nem encontro...

Só, nos fitamos docemente
Com, a vontade de nos abraçarmos
 Achegarmos, mais juntinhos...
Sentirmos, o contato e calor
De um amor profundo...
 A paixão de casal, amante
Que somos a todo o momento.

Há, que falta descobrimos que sentimos,
Um do outro...
 Manhãs, caladas
Noites frias
E bocas fechadas
Sem diálogos...
Nas madrugadas, acordadas.

Mas o nosso amor aumenta
Na distância...
Desejosos e ternos
De nosso amor, quê...
 É meigo e sereno.
Autoria: Lucia Barros.
(Maria Lucia de Barros Gomes.).

Nenhum comentário:

Postar um comentário