domingo, 2 de abril de 2017

Já seria, o meu fim.





Já seria, o meu fim.

AH! Porque fazem, escurecer-me a vida
Diante os olhos que não querem ver...
A minha felicidade a minha paz
E o meu amor, crescer.

Mas ainda assim, não me cala a voz da escrita
Que fala em minha memória
E, já me representa ser o que me visito
Para lembrar com carinho
O que realmente, sou eu
Na calada da minha alma.

O meu corpo se alimenta
De inspiração...
Que é a minha respiração
Sempre, escrevendo...
Fora e dentro de mim.

Ainda assim, amo
Porque sem o amor
Já seria, o meu fim.
Lucia Barros.
(Maria Lucia de Barros Gomes.).



Nenhum comentário:

Postar um comentário